Sábado, 28 de Maio de 2022
20°

Poucas nuvens

Bataguassu - MS

Geral Região

No RJ, Reinaldo se reúne com diretoria da Petrobras para discutir venda da UFN3

Reinaldo se reúne para discutir sobre a agilidade na reabertura do processo de venda da UFN3;

11/05/2022 às 10h36
Por: Tiago Apolinário Fonte: Midia Max
Compartilhe:
Arquivo
Arquivo

No Rio de Janeiro, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) se reúne com a diretoria da Petrobras para discutir a venda da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados), localizada em Três Lagoas, nesta quarta-feira (11).

A agenda está marcada para 15h (horário de Brasília) e na pauta, deve ser discutido sobre a agilidade na reabertura do processo de venda da UFN3, para que outros players interessados na compra possam participar do processo.

Venda da UFN3 fracassada

Por meio de um comunicado ao mercado, a Petrobras anunciou em 28 de abril, que desistiu das negociações da UFN-III com o grupo russo Acron, devido à guerra entre Rússia e Ucrânia. O acordo era dado como certo e já havia sido anunciado antecipadamente pela estatal e pela ex-ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, deputada federal, Tereza Cristina (PP).

A empresa brasileira alegou que o processo de venda não avançou, “tendo em vista que o plano de negócios proposto pelo potencial comprador, em substituição ao projeto original, impossibilitou determinadas aprovações governamentais que eram necessárias para a continuidade da transação”.

UFN3

A construção da UFN3 em Três Lagoas teve início em 2009. No ano seguinte, um termo de acordo entre Estado e Prefeitura deu uma série de incentivos tributários para a Petrobras ativar a fábrica em Mato Grosso do Sul.

Após a paralisação das obras e a saída da estatal brasileira do segmento de fertilizantes, em 2018, Estado e Prefeitura decidiram manter os benefícios fiscais aos compradores da planta industrial. A expectativa era de que a Acron fechasse a compra e retomasse as obras em julho, o que não vai ocorrer.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias